Salvação Solidária

Salvação Solidária

Sinopse

Este livro vê na centralidade da devoção popular do culto às almas a presença convergente de elementos basilares da espiritualidade - experiências religiosas, dor, salvação, solidariedade, continuum vida-morte-vida - que não estão ligados a uma instituição ou matriz religiosa única, trazendo à tona o pluralismo religioso em chave popular.

Por isso, a autora dialoga com as ciências, entende como necessária a transdisciplinaridade, ouve as interpelações nascidas da modernidade, e propõe novas questões para a fé e a prática cristã.

E somente após cuidadosa análise dos dados empíricos, avança a hipótese de que, no núcleo mesmo do culto às almas, está uma das facetas mais significativas da soteriologia popular: para os que sofrem, a salvação entendida subspécie temporis e subspecie aeternitatis provém da solidariedade universal nascida da compaixão.

Essa hipótese articula quatro realidades: o sofrimento, a compaixão, a solidariedade e a salvação. Seguindo o método indutivo de aproximação, a obra propõe uma teologia que assuma como lugar hermenêutico o sofrimento exposto nas entranhas dos sacrificados, causado pelas diversas formas de injustiça e opressão que grassam e esgarçam as relações econômicas, sociais e interpessoais, que afligem e corroem a vida dos devotos.

Com isso, à luz da teologia das religiões, a obra ajuda-nos a identificar novas possibilidades para uma leitura teológica cristã das concepções populares, vendo nelas a potencialidade salvífica da solidariedade. Fruto de pesquisa para a livre-docência da autora, esta obra reflete sobre a popular devoção às almas, combinando a mediação da ciência da religião com a hermenêutica da teologia, a fim de sugerir, a partir da realidade vivenciada pelos fiéis, algumas pautas para uma teologia das religiões populares.

O que nos diz o fato de pessoas de tantas e diferentes tradições encontrarem razões significativas para o culto às almas? O que a teologia aprende dessa devoção que proporciona ocasiões singulares de vivenciar dimensões espirituais profundas? Nesta obra, é o cotidiano que provoca e ilumina a reflexão teológica. Quais os significados que a teologia descobre ou atribui a outras experiências de fé, outros saberes e sentidos, gestados sob outras lógicas? Quais contribuições as religiões populares podem oferecer à teologia e vice-versa? Quais as condições mínimas necessárias para essa mútua aprendizagem?

Quem ouviu esse, ouviu também: