Auto Da Barca Da Glória: Adaptação De Alexandre Azevedo

Teste agora Após 7 dias, será cobrado valor integral. Cancele quando quiser.

Sinopse

O Auto da Barca da Glória, pertencente à Trilogia das Barcas juntamente com Auto da Barca do Inferno e Auto da Barca do Purgatório. Foi escrito por Gil Vicente em 1519, inspirado na Divina comédia, de Dante.
Da mesma forma que os outros dois autos, o Auto da Barca da Glória se debruça sobre a temática do julgamento das almas após a morte, com a representação alegórica de duas barcas que conduzem os mortos ao Paraíso ou ao Inferno, segundo os seus comportamentos em vida.
O Auto da Barca da Glória teve a sua estréia no ano de 1519 em Almeirim para D. Manuel I. Além dos Diabos e Anjos, este auto conta com a presença da Morte que vai trazendo consigo os remadores celestiais por ordem hierárquica ascendente de nobreza (o Conde, o Duque, o Rei e o Imperador) e eclesiástica (o Bispo, o Arcebispo, o Cardeal e por fim o Papa). O diabo a todos faz acusações e estão na eminência da condenação, mas Cristo a todos salva. Encontram-se referências ao Livro de Jó, da Bíblia. Alguns autores admitem que a comédia moral de Lope de Vega, Viagem da Alma tenha sido inspirada por este auto. Auto, como os demais da Trilogia, mostra o clero, devasso e descuidado do cumprimento dos seus deveres religiosos