Lugar De Negro, Lugar De Branco?: Esboço Para Uma Crítica À Metafísica Racial

Teste agora Após 7 dias, será cobrado valor integral. Cancele quando quiser.

Sinopse

Ao refletir sobre a naturalização do lugar da raça, "Lugar de negro, lugar de branco?" desvela a força da escravidão moderna. Para isso, o autor revisita o pensamento de Sartre e dos Iluministas, o surgimento da etnologia e das ciências modernas, com o objetivo de criticar certa tendência do movimento negro à procura da África ancestral, figura mítica produzida por um sistema simbólico branco e capitalista.
Contestando as concepções simplificadoras do continente africano que perdem de vista justamente a sua multiplicidade cultural, o livro problematiza a exaltação de uma identidade negra estancada e não relacional, ligada às características supostamente originárias que não podem se misturar. Aponta como essa "loucura da busca por identidade hipostasiada só indica que o mundo do trabalho ruiu".
O ensaísta convoca ainda para uma ação contra o "romantismo conservador adaptável ao mercado" e seus simulacros imaginários identitários, diante do massacre e invisibilização cotidiana da população negra. Neste ousado e radical ensaio, o intelectual militante Douglas Rodriques Barros desconstrói paradigmas e apresenta novas possibilidades para o movimento negro.