Realismo Capitalista: É Mais Fácil Imaginar O Fim Do Mundo Do Que O Fim Do Capitalismo?

Teste agora Após 7 dias, será cobrado valor integral. Cancele quando quiser.

Sinopse

Após 1989, o capitalismo se apresentou com sucesso como o único sistema político-econômico aparentemente viável no mundo – uma situação que só começou a ser questionada para fora dos círculos mais duros da esquerda a partir da crise bancária de 2008, quando começa-se a entender a urgência de se desmontar a ideia de que "não existe alternativa". Este livro, escrito pelo filósofo e crítico cultural britânico Mark Fisher, desnuda o desenvolvimento e as principais características do "realismo capitalista", conceito que delineia a estrutura ideológica em que estamos vivendo. Usando exemplos de política, filmes, ficção, trabalho e educação, argumenta que o "realismo capitalista" captura todas as áreas da experiência contemporânea. Mas também mostra que, devido a uma série de inconsistências e falhas internas ao programa de realidade do Capital, o capitalismo é, de fato, tudo — menos realista.
"Realismo capitalista" revela que a ideologia está hoje assentada positiva e diretamente na crueza material do capital. Sobre um chão a partir do qual não se veem alternativas no horizonte, ocorre que é possível revolver o solo: a fratura e a revolução estão estruturalmente sob os pés.
— Alysson Leandro Mascaro, professor da USP
"Um clássico cult".
–– Hua Hsu, The New Yorker
"Uma leitura rápida e divertida".
— Socialist Standard
"Uma leitura provocativa e necessária… para quem quiser falar seriamente sobre a política da educação hoje".
— Times Higher Educational Supplement
"Mark Fisher foi o líder intelectual de uma geração"
— Alex Niven, New Staterman
"Mark Fisher foi prolífico, penetrante, espirituoso, humano e onívoro"
— Meagan Day, Jacobin