Brasil-áfrica

Informações:

Sinopse

Reportagens de nossos correspondentes no continente africano sobre fatos políticos, sociais, econômicos, científicos ou culturais, ligados à realidade local ou às relações dos países com o Brasil.

Episódios

  • Pouco conhecimento de brasileiros sobre o continente africano leva a estereótipos, nota pesquisador

    13/02/2021 Duração: 06min

    Único pesquisador brasileiro do Institute for Security Studies, Gustavo de Carvalho, 37 anos, vive há 12 anos na África do Sul. Ele diz que, ao contrário do que talvez possa parecer, o trabalho do especialista em missões de paz no continente africano não é perigoso – e afirma que os brasileiros deveriam aprender mais sobre a África para poderem ir além dos estereótipos. O pesquisador, nascido e criado em Brasília, já esteve em 27 países do continente e diz que se sente mais seguro em Pretória do que em algumas capitais brasileiras. Carvalho lembra que não há conflitos armados onde ele vive – há, sim, violência urbana, como a que todos os brasileiros das grandes centros também experimentam.   “Estatisticamente, cidades sul-africanas são tão violentas quanto cidades brasileiras. Não entendo como brasileiros, às vezes, ficam com essa paranoia com a África do Sul. Vivemos uma realidade muito parecida”, observa. Mas nem todos os parentes e amigos dele se convenceram disso ainda. Gustavo já perdeu a conta de q

  • Cabeleireira brasileira dribla o racismo e a recessão na África do Sul

    15/03/2020 Duração: 04min

    A notícia de que a economia sul-africana acaba de entrar novamente em recessão não fez a brasileira Magali da Silva Rebola desistir de continuar investindo no país, onde a cabeleireira e empresária vive há 15 anos com o marido e as três filhas. Em 2005, eles cruzaram o oceano Atlântico pela última vez, e hoje vivem em Boksburg, a cerca de 20 km de Joanesburgo. O dia começa cedo para a brasileira: às 5h30 ela já está na academia. Três horas depois, Magali está com o salão de beleza aberto e pronta para colocar a mão na massa – ou melhor, nos cabelos das clientes. A decoração do ambiente de trabalho é inspirada no Brasil, com foto do Cristo Redentor decorando as paredes. Magali faz jus à fama de ser boa de serviço e está com a agenda lotada até o fim do mês – foi até difícil marcar uma entrevista com ela. A técnica ela aprendeu em um curso aos 18 anos, que na sequência aplicou no salão de uma tia. Depois, estudou magistério, na tentativa de realizar o sonho de ser professora. Nascida em São Paulo, casada

  • Decepcionada como missionária evangélica na África do Sul, brasileira vira chef

    22/12/2019 Duração: 03min

    Maria da Conceição Lima da Silva tem 48 anos e há 11 trocou Natal por Joanesburgo. Deixou no Brasil seis filhos, 13 netos, a mãe, amigos e outros parentes para ser missionária evangélica na Cidade do Ouro. O projeto foi cheio de contratempos, mas, em compensação, possibilitou que ela abrisse uma microempresa de gastronomia. Conceição estudou pouco, trabalhou muito, teve filhos muito jovem e quase nenhuma ajuda dos companheiros. O emprego mais constante foi o de empregada doméstica. Para completar o salário, fazia catering, sua paixão. Em Natal, participava da comunidade da igreja evangélica do seu bairro. Até que soube da possibilidade de realizar missões em outros países. Começou a pensar em sair do Brasil, em busca de uma vida melhor. Em 2008, soube que a congregação precisava de um chef de cozinha em Joanesburgo. O trabalho era tomar conta do Centro de Aperfeiçoamento para Pregação do Evangelho (Ceape). Sem falar inglês, se tornou uma espécie de faz tudo: faxineira, cozinheira e governanta do centro.

  • Advogado sul-africano que defende brasileiros fala de golpes, xenofobia e racismo no seu país

    08/12/2019 Duração: 03min

    Emile Myburgh (47) tenta convencer a Justiça do país dele a conceder a guarda de uma criança de 5 anos à avó brasileira que vive no Rio de Janeiro. O menino atualmente mora em Joanesburgo e é alvo da disputa entre a auxiliar de enfermagem carioca Silvana Reis Almeida (53) e a família do ex-genro, que está preso por ter matado a própria esposa (filha de Silvana) e guardado o corpo em casa por quase 20 dias. Vinícius de Assis, correspondente da RFI na África do Sul O crime aconteceu em fevereiro do ano passado. A criança é fruto do casamento da vítima, Valéria de Almeida Franco Schmid, com o sul-africano condenado Johan Oswald Schmid (48). O menino estava no apartamento na hora em que o pai estrangulou a mãe. Atualmente ele vive com uma tia paterna. Este caso é considerado pelo advogado o mais complexo da carreira dele. E por este trabalho não está cobrando sequer um centavo da família brasileira, que o conheceu por intermédio da embaixada do Brasil. “Eu queria ajudar, queria fazer alguma diferença. Nem t

página 2 de 2